Programação

  • Geral

    Imagem

    Depoimentos

    O trabalho silencioso do Curso JB é divulgado por comentários avulsos e dispersos de seus alunos e ex-alunos. É o momento de as pessoas anunciarem, em alto e bom som, o que pensam do curso, quais as memórias que dele guardam, qual o papel da orientação que receberam, enfim, tudo o que possa significar o registro de uma convivência profícua. Por isso, convidamos alunos e ex-alunos a manifestar-se, pelo que, desde já, agradecemos. 

    "Gostaria de parabenizar o Curso JB pelo brilhante resultado no CACD de 2008. TODOS os alunos que chegaram ao curso de 3.ª fase foram aprovados!

    Muito obrigado a todos os mestres dispostos a sanar quaisquer dúvidas, propor boas leituras e auxiliar a redação de recursos. O mérito dessa aprovação é também de vocês.

    Não desistamos de nossos sonhos. O CACD não se faz para passar, mas até passar. Os dias, os meses (e os anos) de estudos para esse concurso parecem evaporar-se em meio à felicidade da aprovação. 
    Forte abraço a todos com votos de pleno êxito no CACD de 2009

    Devo registrar, igualmente, minha eterna gratidão à família JB, por ter, em todos os momentos, incentivado seus alunos a estudar, ler, acreditar. Deu certo! Cada cafezinho, biscoitinho, minuto de bate-papo, dicas e palavras de motivação, frutinha em dia de simulado, balinha de café nas noites de incerteza quanto ao nosso futuro, além da constante aquisição de livros para a nossa biblioteca e da inauguração da ótima sala de estudos aberta 24 horas, foram elementos de carinho aos estudantes que, hoje, podem bradar: SOMOS DIPLOMATAS!

    Edison Luiz da Rosa Junior

    ---------------------------------

    A preparação para o CACD exige mais que dedicação. Para o sucesso no concurso, é necessário desfrutar de ambiente que não apenas forneça aos candidatos locais adequados de estudo, mas também que permita aos estudantes uma preparação tranquila, afastando-os da pressão e do estresse que tendem a acompanhá-los nessa difícil jornada.

    O Curso JB, nesse aspecto, tem enorme diferencial em relação a outros cursos que frequentei em Brasília, no Rio de Janeiro ou em Belo Horizonte. A sabedoria do ministro João Batista, o apoio firme de D. Lúcia e o incentivo e a amizade de João Henrique transformam o Curso JB em um ambiente quase familiar, no qual a competição dá lugar à cooperação entre os alunos. Não foi por acaso que todos os meus colegas da sala preparatória para a terceira fase foram aprovados e já são grandes amigos no IRBr.

    O caminho para a aprovação é tortuoso, mas fica mais suave se os candidatos trabalham unidos. Por isso, por experiência própria, sinceramente, recomendo aos meus futuros colegas que se preparem no Curso JB, tanto pelos professores - altamente qualificados - quanto pelo saudável e amistoso ambiente de estudos que outros cursos não oferecem. 

    Eduardo Roedel Fernandez Silva

    ---------------------------------

    O maior desafio é a preparação, não a prova.

    Um ano antes de formar-me em Relações Internacionais pela UnB, veio, pela primeira vez, aquele pensamento típico de quem faz esses cursos doidos: e agora, Zé? Trabalharei em uma ONG? Organização Internacional? Diplomacia? Trainee de alguma empresa? McDonald's? Bem, entrei para o JB. Não tinha o sonho nem a ânsia de tornar-me um diplomata. O que pensei mesmo foi "por que não?".

    Curso preparatório não é uma coisa das mais agradáveis. É detestável para alguns, mas, para mim, foi considerado necessário (sim, sou demasiadamente otimista). Por sorte, o JB minimizou os efeitos perversos atribuídos à palavra preparatório. Liberdade foi o que encontrei lá: liberdade para ditar o meu próprio ritmo, para não ir às aulas quando não tivesse vontade, para conversar com a administração, para sugerir aos professores temas e métodos para aula, para cometer alguns crimes – cabulei aulas, desrespeitei a placa de silêncio, ataquei as bolachas à mão armada, droguei-me de café e, o mais hediondo deles, fiz pergunta cinco minutos, antes de acabar a aula (mas foi só uma vez, e arrependo-me até hoje, pelo mal que eu causei à humanidade). O restante todos sabem: estudar, fazersimulados, assistir às aulas, blá, blá, blá. 

    As provas do concurso são cruéis, porque são muitas e porque é preciso preparo e, certamente, mais sorte para os que menos se prepararam. É por isso que, após tomar posse como terceiro secretário junto a outros colegas de curso, o mínimo que posso fazer é agradecer ao JB pela ótima preparação que tive.

    Obrigado por fazerem parte da minha conquista. 

    Fabrício Gonzaga Araújo 

    --------------------------------
    Dada a extensão do edital e a exigência - às vezes purismo (sem nenhum juízo de valor, mas simples constatação de um fato) - da banca corretora, acho indispensável que o candidato ao CACD frequente um curso preparatório.  O Curso JB tem professores que conhecem e acompanham o trabalho da banca desde muito tempo, promove simulados frequentes e oferece carga horária abundante em que o aluno pode absorver muita informação de professores e colegas. Ademais, a relativa informalidade do ambiente proporciona tranquilidade aos estudos na sala 24 horas do Curso. Aproveito a ocasião para agradecer ao Curso JB por minha preparação e aprovação. 

    Alisson Souza Gasparete

    -------------------------------- 

    Foi durante a minha graduação em Ciência Militares que surgiu o interesse pela carreira diplomática. No entanto, apesar da empolgação inicial, a rotina do trabalho acomodou-me e ocupou quase todo o meu tempo. Nos quartéis por que passei, o rigor era grande, e achar espaço para a preparação era enorme desafio. Tentei estudar sozinho, mas carecia de orientações sobre o variado conteúdo para a prova e sobre como ser seletivo em relação à extensa bibliografia indicada para o CACD. Ao ser transferido para Brasília, procurei um curso preparatório com solidez no mercado. Após comparações, optei pelo Curso JB. Em primeira análise, percebi que o curso contava com quadro docente qualificado, estrutura agradável, preço justo e Coordenação acessível. Ao longo do semestre e com o resultado final do concurso, a aprovação foi a confirmação de todas as minhas impressões iniciais. Agradeço à equipe do curso pela amizade desenvolvida nesse período, pelas orientações seguras e pelo apoio irrestrito durante todas as fases do concurso. Certamente, o Curso JB teve participação fundamental na concretização do meu sonho. 

    Daniel Guimarães

    --------------------------------

    Ao tornar-me diplomata, um sonho de infância realiza-se. A família orgulha-se, os amigos não acreditam, e a conta bancária agradece! Mas, atrás de toda essa felicidade, não está apenas o meu esforço pessoal, há muitas pessoas envolvidas no meu processo de aprovação para o Instituto Rio Branco. Queria agradecer ao curso JB pelas inúmeras horas de dedicação. Foram tantos domingos e feriados a nossa disposição que os corredores do JB viraram nosso segundo lar! O curso proporcionou apoio essencial para manter a fé em momentos de dúvida e oportunidade de conviver com pessoas interessantes, altruístas e desejosas de cooperar entre si, para ir cada vez mais longe. Vocês me felicitaram pelo meu sucesso, mas os louvores dessa vitória devem ser divididos com vocês. Parabéns!

    Sophia Kadri 

    -------------------------------- 

    A adequada preparação para o concurso do Instituto Rio Branco não implica apenas dedicação, mas também empenho emocional. A maior lembrança que guardarei do Curso JB será o esforço da equipe docente e da Secretaria em proporcionar um ambiente agradável sem qualquer característica negativa e pesada de curso preparatório para uma prova muito disputada. Apesar da concorrência do concurso, o clima entre os alunos do JB é de cooperação. Serei sempre grato às amizades construídas nas dependências do curso, fundamentais para converter um momento potencialmente tenso em horas agradáveis. No JB, conheci amigos que fizeram a diferença nos meus estudos e que darão mais sentido à minha carreira de diplomata. Para mim, o ambiente familiar e confortável é a mais marcante característica do JB. 

    Luiz Felipe Czarnobai