Programação

  • Perguntas Frequentes:

    Perguntas Frequentes

    P – Quais são as matérias oferecidas?

    R -  Todas  as matérias exigidas no concurso: Português, Inglês (oral e escrito), História Mundial, História do Brasil, Política Internacional, Geografia, Direito, Economia e Francês (instrumental).

    P – Quem são os professores?

    R -  São diplomatas e professores universitários com larga experiência na preparação para o concurso do IRBr. Adicionalmente, o curso promove palestras com especialistas nos temas da política externa brasileira e da agenda internacional.

    P – Qual é a carga horária semanal?

    R -  Cerca de 18 horas, com aulas de segunda a sábado.  A carga horária pode aumentar em razão de simulados ou de outra atividade extra.

    P – Quantos alunos há em cada turma?

    R -  No máximo, 22, nos períodos de maior demanda. No decorrer do curso, a média é de 15 alunos.

    P – Qual é o curso superior ideal para o candidato preparar-se para o concurso?

    R - A rigor, não existe um curso que, per se, possa fazer a diferença entre ser aprovado ou não. No Itamaraty, existem diplomatas de diversas áreas: direito, economia, relações internacionais, sociologia, engenharia, medicina, teologia, filosofia, psicologia, arquitetura, história, letras, educação física, entre outras. Às vezes, ser formado em alguma disciplina que faz parte dos requisitos do concurso pode dar ao candidato a falsa impressão de que não precisa estudar a matéria em que se graduou, e o resultado pode ser desastroso.

    P – É verdade que é quase impossível o candidato passar na primeira tentativa?

    R – Não se pode afirmar isso de maneira tão categórica. O candidato que prestou concurso mais de uma vez, normalmente, teve um período mais longo de preparação. No entanto, há casos de candidatos que passam na primeira tentativa. Tudo depende da bagagem intelectual com que o candidato se apresenta ao concurso.

    P – Quais são os principais requisitos para lograr sucesso no concurso?

    R - A julgar pela experiência com os candidatos do Curso JB, todos os aprovados têm características comuns: disciplina, método, aplicação, concentração e força de vontade. A disciplina permite ao candidato abdicar de atividades que “roubam tempo”. O método possibilita ao candidato planejar seu trabalho, dividir seu tempo pela quantidade de material a estudar, a ler e a escrever. Ao aplicar-se ao trabalho, o candidato põe em execução seu planejamento. A concentração permite ao candidato tirar o melhor proveito possível do tempo dedicado ao estudo, à pesquisa, ao fichamento, à escrita. Nada disso seria possível sem a força de vontade que impulsiona o candidato e faz transformar seu projeto em ação.

    P- Qual tem sido o índice de aprovação dos alunos do Curso JB?

    R - O índice de aprovação tem aumentado de ano a ano. Há três anos, variava entre 10 e 15 por cento. Nos dois últimos concursos, o percentual aumentou para cerca de 20 por cento. Para o coordenador do curso, há duas explicações para o fenômeno: em primeiro lugar, os professores adquiriram maior experiência, desenvolveram e diversificaram as técnicas de ensino, o que se reflete no melhor aproveitamento dos alunos; em segundo lugar, o curso tem tido o mérito de atrair “boas cabeças”, ou seja, alunos estudiosos, dedicados, entusiasmados e, sobretudo, com boa bagagem de conhecimentos. Ao casarem-se os dois fatores, a saber, a semente selecionada e o solo fértil, o resultado não pode ser outro além da boa colheita.